Jânio Darrot: Adial e Forum Empresarial de Goiás têm razão ao reivindicar a continuidade da política de incentivos fiscais praticada nas gestões do ex-governador Marconi Perillo

1º/1/2020

 

Em artigo publicado no jornal O Popular, o presidente do PSDB Goiás comenta o crescimento de mais de 100% dos Produtos Internos Brutos (PIBs) de aproximadamente 80% dos municípios goianos, entre 2008 e 2017

 

Em artigo veiculado nesta quarta-feira (1º/1) no jornal O Popular, o prefeito de Trindade e presidente do PSDB Goiás, Jânio Darrot, comentou a divulgação pelo IBGE com dados que apontam crescimento de mais de 100% dos Produtos Internos Brutos (PIBs) de aproximadamente 80% dos municípios goianos, entre 2008 e 2017.

 

De acordo com Darrot, as estatísticas, altamente positivas, foram verificadas em um tempo em que o Brasil enfrentou “a pior recessão econômica da história”. Para o presidente do PSDB Goiás, a Adial e o Forum Empresarial de Goiás têm razão ao reivindicar a continuidade da política de incentivos fiscais praticada nas gestões do ex-governador Marconi Perillo.

 

“Não por acaso, Goiás liderou, em algumas oportunidades nos últimos anos, o ranking nacional de geração de empregos, segundo o Caged. Cabe destacar a liderança no ranking brasileiro de combate à desigualdade. De acordo com o Insper, o Estado foi o que mais reduziu a distância entre a renda entre os cidadãos mais ricos e os cidadãos mais pobres, entre os anos de 2005 e 2015”, escreveu.

 

Confira o artigo na íntegra:

 

Motivos para comemorar

 

São alvissareiros os números divulgados pelo IBGE, semana passada, que apontam crescimento de mais de 100% dos Produtos Internos Brutos (PIBs) de aproximadamente 80% dos municípios goianos, entre 2008 e 2017. Sobretudo se considerarmos o fato de o Brasil ter enfrentado nos últimos cinco anos a pior recessão econômica da história.

 

As estatísticas do IBGE sinalizam de maneira clara que o setor produtivo goiano desempenha papel singular na economia nacional. Senão vejamos: O Instituto Brasileiro de Economia da FGV afirma que a economia brasileira deve avançar em média 0,9% ao ano, a considerar a base de dados entre 2011 e 2020. Taxa menor que o 1,6% apurado nos anos 1980, durante a chamada “década perdida”. Previsões que justificaram a manchete no Portal G1, segundo a qual O País caminha para década com crescimento mais fraco em 120 anos.

 

A Adial e o Forum Empresarial de Goiás têm razão ao reivindicar a continuidade da política de incentivos fiscais praticada nas gestões do ex-governador Marconi Perillo. Não por acaso, Goiás liderou, em algumas oportunidades nos últimos anos, o ranking nacional de geração de empregos, segundo o Caged. Cabe destacar a liderança no ranking brasileiro de combate à desigualdade. De acordo com o Insper, o Estado foi o que mais reduziu a distância entre a renda entre os cidadãos mais ricos e os cidadãos mais pobres, entre os anos de 2005 e 2015.

 

A discussão retórica travada nos últimos meses acerca dos incentivos não tem levado em conta algumas variáveis nesta equação, como a contabilização dos gastos públicos que são “economizados” quando um trabalhador deixa de buscar atendimento no SUS – a maioria das grandes empresas fornece planos de saúde. Outrossim, ao melhorar a renda familiar, os níveis de qualidade na alimentação impedem que muitas doenças sejam contraídas. Importante frisar que uma economia saudável, com boas taxas de empregabilidade, é capaz de promover a diminuição nos índices de criminalidade.

 

O ano de 2019 está findando e saber que Goiás, de certa maneira, fora vacinado contra os principais efeitos da recessão que se abateu sobre o Brasil mostra que temos, sim, motivos para comemorar. Todavia, é necessário que políticas públicas sejam implementadas em favor do crescimento econômico para continuar sustentando a geração de empregos. Afinal, o melhor programa social que um gestor público pode criar e implementar chama-se “carteira assinada”.

 

Jânio Darrot é prefeito de Trindade e presidente do PSDB Goiás

 

Compartilhar

Desenvolvido por