O Popular: Jânio Darrot e Delegado Waldir anunciam parcerias entre PSDB e PSL em algumas cidades

10/3/2020

 

Matéria veiculada nesta terça-feira (10/3) no Jornal O Popular informa que PSDB e PSL devem caminhar juntos em algumas cidades do interior. As conversas estão sendo conduzidas por seus presidentes estaduais, Jânio Darrot e Delegado Waldir.

 

A aliança prevê composição nas cidades em que o pré-candidato de um dos partidos estiver melhor posicionado. À reportagem, Waldir afirmou que “a aliança interessa aos dois partidos”. “Política não se faz sozinho. O PSL é o partido que mais tem tempo de TV e fundo partidário. Então, estamos conversando. Onde eles tiverem candidatos em melhor situação, o PSL poderá dar apoio. E vice-versa”. Jânio Darrot corroborou: “Fechamos essa parceria, visando beneficiar os dois partidos.”

 

Segundo Waldir, as legendas “têm linhas em comum”, além de compartilharem os mesmos “adversários a nível estadual”, se referindo ao DEM, legenda do governador Ronaldo Caiado, com quem rompeu no ano passado. “Mas não só o DEM, como também os partidos que foram cooptados pelo governador, como o PTB, o PROS e o Podemos. Não vamos lançar candidatos do PSL e do PSDB num mesmo município, sendo que podemos nos unir”, diz.

 

Confira a íntegra da reportagem:

 

Marcos Nunes Carreiro

 

Visando o fortalecimento para as eleições de outubro, PSDB e PSL devem caminhar juntos em algumas cidades. A aliança, que é objeto de diálogo entre os presidentes das legendas, Jânio Darrot e Waldir Soares, respectivamente, prevê composição nas cidades em que o pré-candidato de um dos partidos estiver melhor posicionado.

 

Ao POPULAR, Waldir diz que “a aliança interessa aos dois partidos”. “Política não se faz sozinho. O PSL é o partido que mais tem tempo de TV e fundo partidário. Então, estamos conversando. Onde eles tiverem candidatos em melhor situação, o PSL poderá dar apoio. E vice-versa.” Darrot corrobora: “Fechamos essa parceria, visando beneficiar os dois partidos.” Segundo Waldir, as legendas “têm linhas em comum”, além de compartilharem os mesmos “adversários a nível estadual”, se referindo ao DEM, legenda do governador Ronaldo Caiado, com quem rompeu no ano passado. “Mas não só o DEM, como também os partidos que foram cooptados pelo governador, como o PTB, o PROS e o Podemos. Não vamos lançar candidatos do PSL e do PSDB num mesmo município, sendo que podemos nos unir”, diz.

Questionado em quais cidades os dois partidos podem compor, Waldir diz que isso ainda está sendo discutido. “Iniciamos o diálogo agora e ainda vamos sentar para ver as possibilidades. Em Goiânia, por exemplo, tanto PSL quanto PSDB têm pré-candidatos (os deputados Major Araújo e Talles Barreto, respectivamente), então é difícil. Mas existem dezenas de municípios em que essa parceria pode se concretizar. Não vamos caminhar nos 246, mas há onde isso será possível.”

 

ROMPIMENTO

 

A aliança ocorre quatro anos depois de Waldir romper com o PSDB, partido pelo qual foi eleito deputado federal em 2014. Foi preterido na candidatura a prefeito à época. A esse respeito, ele diz que é preciso maturidade. “Até porque já estamos estruturando os partidos para 2022”, ressalta. Ele ressalta que saiu da legenda “no momento em que foi descumprido um acordo”, mas que “isso foi em 2016”. “Agora, estamos em 2020 e vivemos outro momento político em que compartilhamos adversários”, diz se referindo a Caiado novamente, com quem esteve junto no pleito e 2018. “Ajudei a eleger o atual governo, mas por questões políticas estamos em linhas opostas”, relata.

 

A aliança deve beneficiar o PSDB, que tem perdido prefeitos que seriam candidatos à reeleição. A legenda tem sofrido esvaziamento desde ao pleito de 2018, quando perdeu o governo, o Senado e fez apenas um deputado federal. Na semana passada, o diretório tucano expulsou dois deputados que se aliaram a Caiado e viu sua bancada diminuir de seis para quatro parlamentares na Assembleia.

Compartilhar

Desenvolvido por