Marconi Perillo e José Eliton divulgam nota sobre a segurança pública do Estado

Nota publicada no portal A Redação
Goiânia – Os ex-governadores de Goiás, Marconi Perillo e José Eliton, divulgaram nota sobre a segurança pública do Estado. Confira a íntegra:

“NOTA OFICIAL

Lamentáveis as declarações do governo de Goiás acerca de indicadores de segurança pública. Ao invés de informar opta-se deliberadamente por espalhar fake news com intento de desinformar – instrumento de perpetuação no poder – o modus operandi – A mentira e a dissimulação como parte da estratégia de comunicação de governo.
Em 1999 iniciamos uma transformação qualitativa na Segurança Pública. Naquele momento histórico a centenária Polícia Militar e as demais forças de segurança atuavam com viaturas sucateadas (fiat 147, fusca, veraneio etc.) e armamentos adquiridos de segunda mão do estado do Rio de Janeiro os famosos “carioquinhas”. 
Em 2011 por determinação do Governador Marconi Perillo, que se inspirou em modelos bem sucedidos mundo a fora, foi criado o Comando de Operações de Divisas – COD – Portaria SSPJ 1026/2011, desde então Goiás passou a integrar as estatísticas vencedoras de apreensão de drogas, contrabando e combate ao crime organizado, notadamente o novo  cangaço.
Também nessa época contratamos com o DEPEN (Departamento Penitenciário Nacional), fizemos os projetos e iniciamos a construção de 1.200 vagas em quatro unidades prisionais para jovens adultos, e com recursos próprios, construímos o Centro de Triagem com capacidade para 300 detentos, retirando os presos de delegacias. 
Iniciamos um processo de modernização e investimentos na infraestrutura das diversas forças policiais do aparelho de Estado, notadamente em tecnologias, introduzimos o controle de identificação por biometria e trouxemos o programa Balada Responsável para o combate à direção sob alcoolemia. Sob o comando dos ex-Secretários Joaquim Mesquita (Delegado Federal) e José Eliton (então Vice Governador de Goiás) investimos em inteligência e compartilhamento de informações estratégicas (foi construído o Centro de Comando e Controle, ferramenta fundamental de gerenciamento em segurança) e atuamos decisivamente para criar o pacto integrador de Segurança Pública Interestadual, que chegou a ter 21 Estados participantes, além da União.
Em 2018 as viaturas das forças policiais estavam entre as melhores do Brasil. Também nesse ano foram importados armamentos modernos, usados pelas melhores polícias do mundo (pistolas sig sauer) e coube ao atual governo apenas entregar os lotes seguintes.
Ao final de 2018 o Estado de Goiás figurava como o 2º Estado Brasileiro que melhor pagava suas forças de segurança, chegando a ter remunerações que se encontravam no teto salarial do serviço público, demonstrando os anos de valorização e investimento nas carreiras das policias de Goiás.
As lotações de policiais sempre foram realizadas a partir de critérios técnicos, notadamente os indicadores da mancha criminal e observando o atingimento de metas previamente estabelecidas com os diversos comandos. Jamais houve qualquer estratégia que não observasse os referidos parâmetros.
O Brasil viu o avanço da criminalidade relacionado ao crime organizado, facções que agiam e agem a partir dos presídios – fenômeno observado em todos os estados da federação mas com os investimentos feitos por nossos governos em tecnologia, inteligência, compartilhamento de informações e  com a atuação científica das forças de segurança, o Estado de  Goiás foi um dos primeiros a inverter a curva de criminalidade e, a partir de então, o Estado e seus cidadãos colhem os frutos desse trabalho.
No período de 2013 a 2018, segundo o Atlas da Segurança Pública Goiás registrou uma redução de 16,4% na taxa de homicídios.
Segundo o índice de governança em segurança pública realizado pelo TCU, Goiás conquistou o 2º lugar dentre todos os estados da federação, demonstrando o acerto das diretrizes governamentais e o profissionalismo da gestão em segurança adotados pelos nossos governos.
Por fim, Goiás esconde dados que até 2018 eram públicos e que hoje são sigilosos.
Comparando-se os dados do DATASUS com o site da SSP pode-se notar uma diferença de 606 mortes não explicadas ou homicídios não resolvidos apenas no ano de 2019 (2423 – 1659) existem ainda 158 mortes de intenção indeterminada. No ano de 2020 o site da SSP ainda não atualizou os dados dos meses de  outubro, novembro e dezembro, dessa maneira é fácil dizer que todos os crimes foram solucionados. 
No anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Publica Goiás não informa mais as mortes decorrentes de intervenções policiais, também não informa o número de policiais vitimados no período, sendo o único estado da federação a não fazê-lo.
Nós nos solidarizamos com todos os que foram, de uma forma ou de outra, vítimas das declarações arrogantes e grosseiras do Governador e do Secretário, que usurparam o mérito dos verdadeiros atores no combate à criminalidade, especialmente os integrantes das forças de segurança da Policia Militar, da Polícia Civil, dos Policiais Penais e Policiais Técnicos e Científicos e com as demais carreiras vinculadas a Segurança Pública.
Também nos solidarizamos com as vítimas e as famílias das vitimas dos diversos crimes não solucionados ou cujos culpados não foram levados à responsabilização: homicídios, feminicídios, estupros, abuso de menores, latrocínios, roubos de carros, defensivos agrícolas, máquinas agrícolas, gado, furto de estabelecimentos comerciais, residências, fazendas, vitimas de estelionato, crimes cibernéticos e etc. 
Ao mesmo tempo fazemos o presente desagravo em face de notáveis cidadãos brasileiros e goianos que com esmero, alto espírito público e honradez serviram aos nossos governos e aos goianos na área da segurança pública, a exemplo do  ex-Procurador de Justiça e ex-Senador Demóstenes Torres, do constitucionalista e Professor Jonahtas Silva, do economista José Paulo Loureiro, do advogado e Procurador do Estado João Furtado de Mendonça, do Delegado da Policia Federal Joaquim Mesquita, do Coronel Edson Costa Araújo, do Professor Ricardo Balestreri, do ex-Governador e ex-Conselheiro do TCM Irapuã Costa Júnior, do advogado e ex-Governador de Goiás José Eliton de Figueredo Jr, também subscritor da nota, dentre outros dedicados servidores da Segurança Pública do Estado de Goiás.
Temos a certeza de que o tempo sombrio que vivemos hoje passará e de que a verdade sempre prevalecerá.
Marconi Ferreira Perillo Júnior José Eliton de Figuerêdo Júnior
Ex-Governadores do Estado de Goiás”

Compartilhar

Desenvolvido por