Notícia

11/10/2017 16:06

A pedido de Giuseppe Vecci, Comissão de Educação debate desafios da Universidade Aberta do Brasil

Deputado federal e presidente do PSDB em Goiás, Giuseppe Vecci defende a qualificação de professores e a capacitação de gestão do ensino básico e superior

Em audiência ontem (10) na Câmara dos Deputados, o presidente estadual do PSDB, deputado federal Giuseppe Vecci, defendeu a destinação de mais recursos à Universidade Aberta do Brasil (UAB).

Vecci, que é titular da Comissão de Educação da Câmara, argumentou que o aumento de recursos ajudará no enfrentamento das dificuldades e na consequente ampliação do acesso ao ensino a distância.

“Já tivemos avanços, mas é necessário que nos somemos à Capes, que dirige a universidade, no sentido de conseguirmos mais recursos, mais apoio para que de fato a universidade aberta possa implementar essas ações que são importantes para a difusão do conhecimento, da qualificação dos professores e para a capacitação dos setores de gestão do ensino básico e superior”, declarou em entrevista à jornalista Sabrina Freire.

A UAB consiste em um sistema integrado por universidades públicas que tem como objetivo ampliar e interiorizar a oferta de cursos e programas de graduação, além de reduzir as desigualdades na oferta e desenvolver um amplo sistema nacional de educação superior a distância. A prioridade é atender professores da educação básica da rede pública, dirigentes, gestores e profissionais que atuam na educação básica.

Para Vecci, a audiência foi muito positiva por expor a realidade do sistema. Atualmente, a UAB detém 18% da matrícula total em ensino a distância, o que demonstra um avanço do sistema. Em 2016, obteve 23 mil matrículas nos cursos de ensino superior. Entretanto, enfrenta dificuldades para ampliar a implementação de polos em algumas regiões do país.

Composição

Atualmente, o sistema é composto por 555 polos nos 26 estados e no Distrito Federal. Destes, 288 estão em atividade e 267 em fase de implantação. “Em Goiás contamos com mais de 20 polos de apoio, mas acredito que seja necessária a ampliação do programa, seguindo modelos exitosos vividos em outros países”, defendeu.

O diretor da Capes e presidente da UAB, Carlos Lenuzza, representou o Ministério da Educação e destacou a importância do programa em capacitar os profissionais da educação básica, principalmente pelo fato de oferecer cursos de mestrado em diversas áreas.

O consultor de Educação a Distância João Vianney Valle dos Santos destacou o fato do ensino ofertado pela UAB ser gratuito e ter gerado um crescimento considerável. Porém, revelou o problema da queda na continuidade dos recursos destinados ao sistema, a pouca quantidade de verbas e, principalmente, a oferta restrita de vagas.

O presidente da Cimpro, ex-reitor e vice-presidente do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras, Julio Cesar da Silva, apresentou ações necessárias para superar as dificuldades da UAB. Segundo ele, é preciso um melhor modelo de financiamento, de gerenciamento dos recursos e uma integração de um projeto que permita a sustentabilidade das universidades abertas de forma a reconhecer as vantagens do ensino a distância e promover uma educação transformativa e disseminadora de conhecimento.

Também estiveram presentes o representante da Associação Brasileira de Educação a Distância, Welinton Baxto da Silva; e Giovana Dal Bianco Perlin, consultora educacional, doutora e mestre em Psicologia.

(Texto: Sabrina Freire)

Facebook

Twitter