Notícia

03/08/2017 10:39

Ações do governo de Goiás reduzem criminalidade no estado

A Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) de Goiás, estado administrado por Marconi Perillo (PSDB), divulgou nesta quarta-feira, dia 2, as estatísticas referentes ao mês de julho. Os números mostram que houve redução em 11 das doze modalidades das ocorrências reativas no Estado, quando se compara os dados com julho de 2016.

Apresentaram redução os casos de estupros (-45,76%), as tentativas de homicídios (-14,15%) e os latrocínios (-40%). Todas as naturezas de roubos e de furtos também tiveram queda. Os roubos a transeuntes diminuíram 39,86%, os roubos de veículos cederam em 35,68%, enquanto os roubos em comércios e em residências caíram, respectivamente, 48,01% e 25,46%.

Os furtos em comércios apresentaram a queda mais significativa em sua categoria (-39,5%). Os furtos a transeuntes aparecem com redução de -34,22%, seguidos dos furtos em residências (-28,7%) e pelos furtos de veículos que retrocederam -26,08%. No mês, apenas os homicídios oscilaram positivamente em 4,62%.

O secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), Ricardo Balestreri, entende que a contração verificada na maioria dos índices é um estímulo para que os operadores de segurança continuem motivados na luta contra a criminalidade. “Vamos intensificar os esforços para que o declínio seja consistente e duradouro, ao mesmo tempo em que consideramos imprescindível adotar novas iniciativas que colaborem no processo de construção da paz social”.

Novas quedas
Todas as doze modalidades de crimes consideradas de alta prioridade apresentaram recuo, em Goiás, na comparação entre os sete primeiros meses de 2017 e 2016. De acordo com os dados, os homicídios estão 14,51% menores, os estupros (-16,93%) e tentativas de homicídios (-24,14%). Os latrocínios estão -47,32% abaixo dos casos registrados no ano passado.

A redução nos roubos de veículos chegou a -28,58%, ao passo que os roubos em comércio encolheram -32,29%. Nos roubos a transeuntes e em residências o declínio chegou a -23,95% e -21,15%, nessa ordem.

As quedas nos índices nas naturezas de furtos chegaram a -18,79% nos veículos, -17,42% em comércios, -0,9% em residências, e -25,52% nos furtos a transeuntes.

No Entorno do DF, criminalidade tem redução geral
Os índices de criminalidade de toda a Região do Entorno do Distrito Federal estão em queda. É o que revelam os registros da Secretaria de Segurança Pública. Tanto no mês passado quanto no acumulado do ano (até julho), os dados mantiveram a tendência de queda.

Os homicídios apresentaram queda de -20,93% em julho e de -22,54% no acumulado do ano. Os estupros estão mais baixos -22,22% e -8,16%, e as tentativas de homicídios com redução de -22,41% e -32,24%, se utilizado a mesma base de comparação dos homicídios.

Os roubos e furtos, em todas as suas naturezas, estão em declínio na região. Em julho, os indicadores de roubos tiveram a seguinte redução: a transeunte (-40,13%), de veículo (-18,39%), em comércio (-34,38%), em residência (-15,63%). Para os furtos contabilizados no mês as reduções foram: de veículos (-27,33%), em comércio (-47,37%), em residência (-26,38%) e a transeunte (-44,74%). No acumulado anual, de janeiro a julho, as doze modalidades registraram queda no Entorno do Distrito Federal.

Em Anápolis, estupros caem 80% e roubo de veículos, 64,71%
Anápolis, no centro norte goiano, obteve, em julho, redução acima de -40% em sete das 12 modalidades criminais analisadas. Os estupros despencaram -80%, os roubos de veículos cederam em -64,71%, e os furtos em comércios recuaram -61,9%. Os roubos em comércios tiveram decréscimo de -51,35% e os roubos a transeuntes decaíram -50,82%. Furtos de veículos e em residências mostraram recuos respectivos de -47,73% e -43,44%.

Na sequência, aparecem as quedas nos índices das tentativas de homicídios (-37,5%), dos roubos em residências (-35,71%) e furtos a transeuntes (-7,14%). Os homicídios, por outro lado, aumentaram 16,67%, mas, no acumulado do ano, está -3,92% menor do que os números registrados ano passado.

* Do Governo de Goiás

Facebook

Twitter