Notícia

25/04/2017

Por iniciativa de Talles Barreto, Plano Nacional do Desporto é debatido em audiência na Assembleia

Evento teve a participação da deputada federal Flávia Morais, da Subcomissão do Desporto na Câmara dos Deputados

Foto: Sérgio Rocha/Alego

Por iniciativa do deputado Talles Barreto (PSDB), em conjunto com a deputada federal Flávia Morais (PDT-GO), que é membro da Subcomissão Especial do Plano Nacional do Desporto da Câmara Federal, a Assembleia Legislativa realizou audiência pública na manhã desta terça-feira, 25, para debater o Plano Nacional do Desenvolvimento do Desporto (PND).

O objetivo da audiência foi ouvir representantes do segmento do esporte em Goiás e colher subsídios para aperfeiçoar o texto produzido pela Subcomissão que foi criada em 2015 e inserida dentro da Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados, para apresentar uma proposta de longo prazo para o desenvolvimento do esporte brasileiro.

Participaram do evento, além de Talles Barreto e de Flávia Morais, o professor Jorge Steinhilber, presidente do Conselho Federal de Educação Física (Confef), o professor Jovino Oliveira Ferreira, presidente do Conselho Regional de Educação Física da 14.ª Região GO/TO, o superintendente de Desporto Educacional da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte, Maurício Roriz dos Santos, e o representante da Secretaria Municipal de Educação e Esporte de Goiânia, Mário Vasconcelos.

A deputada Flávia Moraes informou que na Câmara Federal há vários parlamentares estudando o PND. “Temos que dar importância para o esporte como política pública prioritária, grande ferramenta que o Poder Público tem para enfrentar grandes mazelas, como a drogadição.”

Segundo ela, a ideia é aproveitar o momento em que foram realizadas as Paraolimpíadas e Olimpíadas, para enaltecer o grande legado da cultura da prática da atividade física. “Temos vários ex-atletas que representam essa Comissão de forma legítima e defendem o esporte de alto rendimento. Sou professora de educação física e defendo o fortalecimento do esporte, temos trabalhado para defender isso”, frisou.

O deputado Talles Barreto considerou que a audiência foi a oportunidade para repassar à deputada as demandas que precisam ser incluídas no Plano. “Aqui estão presentes os segmentos necessários para nos ajudar a saber, na prática, como está o esporte nacional. Temos alunos, professores, funcionários municipais e estaduais. Esse é o momento de melhorarmos a situação do esporte no Brasil.”

Presidente do Conselho Regional de Educação Física da 14.ª Região GO/TO, professor Jovino Oliveira, considerou os apontamentos já feitos pelos deputados e complementou reforçando a importância da presença de cada acadêmico e professor de educação física. “Hoje vamos discutir o futuro do esporte no Brasil. A escola é o berço do esporte, é na escola que deve ser estimulada a prática de todas as modalidades esportivas, não apenas futebol”, avaliou.

Para o professor a expectativa de melhorar essa situação nas escolas, por exemplo, está próxima em ser alcançada, no entanto, existem muitos problemas políticos. “Precisamos criar formas de avançar neste processo. É importante criar situações que nos permitam acompanhar e monitorar”, disse.

Carência em infraestrutura

Representante da Secretaria Municipal de Educação e Esporte de Goiânia e profissional de educação física, Mário Vasconcelos, afirmou durante sua fala que a cidade de Goiânia é carente quanto a infraestrutura esportiva.  “A categoria deve se unir. Goiânia não tem boa infraestrutura esportiva, são poucas quadras poliesportivas. Se olharmos para outros Estados, vamos ver cidades do interior com estruturas muito favoráveis”, pontuou.

Mário ainda avaliou que, embora Goiânia tenha muitos bosques e parques onde o desporto popular poderia ser mais bem trabalhado, é uma cidade ainda carente de incentivos ao esporte.

Já o Superintendente de Desporto Educacional da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) e educador físico, Maurício Roriz dos Santos defendeu o Estado de Goiás. “Goiás não está atrás dos demais Estados brasileiros quanto ao esporte”, afirmou.

Ele informou que houve aumento da participação goiana no últimos Jogos da Juventude, inclusive, com conquistas de várias medalhas. “Esse crescimento é muito importante. O programa que busca trazer 100% de quadras cobertas, traz nesse mês 14 inaugurações de quadras”, revelou. 

Para ele é preciso assegurar uma formação continuada dos professores de educação física. “Nós temos valorizado isso trabalhando junto com a Seduce com a formação continuada dos professores de educação física dos 246 municípios. Fizemos um levantamento quanto à formação dos professores para que promovêssemos nas unidades da Universidade Estadual de Goiás (UEG) o curso de Educação Física”, disse.

Durante a audiência, o professor Jorge Steinhilber, presidente do Conselho Federal de Educação Física (CONFEF), alertou os estudantes de educação física que esse é o momento para contribuir com o Plano Nacional de Desporto (PND). “Ainda temos tempo para que vocês possam conhecer o Plano, discutir, debater e apresentar propostas. É fundamental para nós termos profissionais de educação física em todas as instâncias. Não adianta termos espaços e legislação se não tivermos a devida orientação de atividade física”, ponderou.

De acordo com Steinhilber, o trabalho que a deputada Flávia Morais vem realizando corre atrás dos direitos dos jovens e das crianças, o direito à educação. Outro ponto abordado por Jorge é assegurar que os atletas estejam estudando enquanto desenvolvem suas práticas de atletismo. “Não podemos vê-lo como uma máquina de lucro enquanto ganha com publicidade. Temos que defender uma atividade lúdica voltada para todos com orientação do professor de educação física.”

O evento foi realizado no Auditório Solon Amaral e contou com a participação de professores e estudantes de Educação Física de Goiás.

Diretrizes do PND

Diretriz 1 – Garantir o acesso à prática e à cultura da educação física e do esporte nas escolas de educação básica, de forma a promover o desenvolvimento integral de crianças, adolescente e jovens.

Diretriz 2 – incentivar a prática da atividade física e do esporte, com a garantia dos meios necessários, de forma a promover a saúde e a qualidade de vida dos jovens, adultos e idosos.

Diretriz 3 – Promover o esporte de alto rendimento para projetar o Brasil como excelência esportiva mundial.

Diretriz 4 -  Construir trajetória estruturada de iniciação, especialização e aperfeiçoamento esportivo, com garantia de acesso a todas as crianças e adolescentes.

Diretriz 5 – Consolidar o Plano Nacional do Esporte como instrumento imprescindível para o planejamento e desenvolvimento do esporte no Brasil.

Fonte: Agência de Notícias - Assembleia Legislativa do Estado de Goiás

Facebook

Twitter